11 de mar de 2012

Trama coletiva

Iniciamos as atividades da Produção Literária na última segunda-feira, 05 de março de 2012, quando tivemos a oportunidade de trabalhar nossa primeira trama coletiva. Está aí a fotografia, tirada pelo nosso colega Fernando de seu aparelho celular, que não nos deixa mentir:



Perguntaram: "mas afinal o que é trama?" Consultemos o Aurélio:

Trama. [Do lat. trama.] S. f. 1. O conjunto dos fios passados no sentido transversal do tear, entre os fios da urdidura (2). 2. V. tela (1). 3. Fio grosso, de seda. 4. Fio grosso com que se fazem certos tecidos. 5. Fig. Enredo, intriga, teia. 6. Fig. Conluio, conspiração. 7. Fig. Procedimento ardiloso. 8. Fotograv. V. retícula (2). 9. Bras. Contrato, ajuste. 10. Bras. Troca, barganha. 12. Bras. Ladroeira, roubalheira; velhacaria. 13. Bras., S. Travessa de madeira que se põe entre os vãos dos mourões das cercas de arame, presa aos respectivos fios por um arame flexível.

Não se engane: é a acepção número 5. do dicionário Aurélio que se refere ao que realizamos na atividade da aula inaugural do curso de Produção Literária segunda-feira passada!

Ilustramos por meio de uma atividade em que os colegas apresentavam-se ao grupo lançando um rolo de barbante aleatoriamente uns aos outros. No final, tivemos uma verdadeira rede, à qual chamamos jocosa, porém um tanto quanto orgulhosamente, de nossa primeira trama coletiva.

Chamamos a atenção da turma para o paralelo que existe na Língua Portuguesa entre a atividade do escritor e a do tecelão: o primeiro usa palavras para compor seus textos e o último usa fios - como aqueles da acepção número 1. do dicionário Aurélio citada acima - para produzir seus tecidos.

Aliás, texto e têxtil têm uma origem comum. Consultemos nosso dicionário etimológico:

texto sm. 'as próprias palavras de um autor, livro ou escrito' | XIV, textu XIV | Do lat. textum -i 'entrelaçamento, tecido' 'contextura (de uma obra)' || têxtil adj. 2g. 'que se pode tecer' 'relativo a tecelões ou à tecelagem' 1899. Do lat. textĭlis -e || textual adj. 2g. 'relativo ao texto' XVII. Adapt. do fr. textuel || textura sf. 'ato ou efeito de tecer' 'tecido, trama' 1813. Do lat. textūra. Cp. tecer.

A sugestão é de que comparemos a etimologia da palavra texto à do verbo tecer. Vejamos o verbete:

tecer vb. 'entrelaçar regularmente os fios de' 'fig. enredar, intrigar' | XIV, texer XIII, teixer XIV | Do lat. tĕxĕre || entretecer XVI | teced·eira XIV || tecedor XIII || tecelagem 1797 || tecelão sm. 'aquele que tece' | teçelam XIII || tecido sm. 'conjunto formado pelo entrelaçamento dos fios' XVI || tecimento | -çi- XV | Cp. teia², tela.

Se continuarmos a seguir essa "linha", vamos continuar pesquisando a palavra teia, a palavra tela, e por aí vai. Aliás, tela é a acepção número 2. da palavra trama no dicionário Aurélio supracitado. 

A propósito, de acordo com a mitologia, é seguindo um fio, ou uma linha, que Teseu consegue escapar do labirinto. É o famoso "fio de Ariadne". Não estamos afirmando que as palavras da Língua Portuguesa formam um verdadeiro labirinto: estamos apenas sugerindo um caminho para, caso alguém porventura caia dentro dele, consiga derrotar o Minotauro e escapar com vida. 

Para ter uma ideia sobre esse mito, visite http://pt.wikipedia.org/wiki/Teseu

Voltando ao assunto, vimos que trama tem a ver com tecido e que tecer tem a ver com enredo, que por sua vez também tem a ver com trama. Está tudo interligado: a ideia é justamente aproximar a atividade de produzir textos à arte de juntar fios avulsos para se formar um tecido que, metaforicamente, representa a história que o Autor está escrevendo: o enredo. E enredo nada mais é do que o "esqueleto" da narrativa: aquilo que lhe dá sustentação. Nada melhor do que isso para se tratar na aula inaugural da Produção Literária.

Não confunda trama com drama!
Mas isso fica pra próxima...


Dicionários consultados:
  • Novo Dicionário da Língua Portuguesa, de Aurélio Buarque de Hollanda Ferreira (e uma trupe de assistentes que nunca são lembrados), popularmente conhecido como "Grande Aurélio", lançado pela editora Nova Fronteira em 1975. Exemplar gentilmente oferecido à Produção Literária pela Biblioteca Municipal Mário de Andrade (Araraquara - SP), pelo que sua  diretora Célia Regina Longobardo merece nossa imensa gratidão. Obs.: por mais que isso possa parecer, não é porque há um novo acordo ortográfico que as palavras perderam o sentido!
  • Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, de Antônio Geraldo da Cunha (e uma trupe de assistentes que nunca são lembrados), ainda não tão popular a ponto de merecer um apelido carinhoso, reimpresso pela editora Lexikon em 2007.


Nenhum comentário:

Postar um comentário